Quando é Normal Ter Insônia

Insônia – Quando é Normal Ter Insônia


Quando é Normal Ter Insônia. Se você quer saber quando que uma Insônia é Normal e se nem sabia que isso poderia ter, fique até o final deste artigo que a psicóloga da Clínica Regenerati – uma clínica de neurologia formada por diversos especialistas em medicina do sono –, Eliane Aversa, que atua na parte das insônias através da Terapia Cognitivo-Comportamental, vai falar sobre a insônia e como ela se manifesta com as diferenças entre sexo e diferentes faixas etárias.

O que é Insônia?

Insônia é definida sempre por uma queixa, um relato do paciente de que não tem um sono bom, ou seja, ele tem uma dificuldade de iniciar ou manter o sono – que pode ser não reparador, de má qualidade – ou ainda ter um despertar muito precoce, podendo acordar muito antes do que deveria pelas suas rotinas de trabalho.

Através de vários estudos populacionais, em diversos países, chegou-se a um consenso de que a insônia atinge 30% da população adulta. Só no Brasil, ela atinge 73 milhões da população adulta segundo a Associação Brasileira de Sono.

Então, o que vamos poder dizer hoje sobre as consequências de se ter insônia? A primeira delas é que mexe muito com a qualidade de vida das pessoas, então, elas dizem que têm prejuízos no funcionamento do próprio físico, podem aparecer dores musculares, irritabilidade, alteração de humor, mudanças na diminuição da própria vitalidade do ser. Logo, essas são as principais características da insônia.

Teste de Insônia
Teste que tem objetivo de quantificar o grau de insônia da pessoa.

Classificações da Insônia

Ela tem diversas classificações, primeiro, quanto a que momento ela acontece. Pode ser uma insônia inicial: existe uma dificuldade, uma latência do sono aumentada, ou seja, uma dificuldade para iniciar esse sono, começar a pegar no sono. Ou ela pode ser de manutenção: a pessoa acorda muito antes do horário que deveria, ela tem despertares bastante frequentes, então, não consegue manter o sono até o fim.

Pode haver também uma classificação em relação à duração dela, que pode ser uma insônia transitória, de um pouquinho menos de um mês; uma insônia de curto prazo, de umas semanas, poucos meses; ou uma insônia crônica – a partir de 06 meses já consideramos uma insônia bem mais séria e precisando de bastante tratamento.

Quanto às causas, elas também têm classificações. Pode ser uma insônia primária, ou seja, uma criança começa já a dizer que não dorme bem, então ela sempre vai ter um início no começo da infância e não é tão comum, frequente, é até mais difícil de diagnosticar.

Casei com um profissional do ronco... E agora ?
Este livro conta a jornada de uma esposa que sofre com o ronco de seu marido e como que ela fez para lidar com a Apneia do Sono de seu marido.

E temos a insônia secundária. Essa é mais comum, porque pode ser secundária a vários fatores, como, por exemplo, condições médicas: um indivíduo que tem diabetes, Doença de Parkinson; até os próprios distúrbios do sono, como apneia do sono, podem provocar insônia. Essas pessoas já tomam alguns medicamentos para outras coisas, quimioterápicos ou mesmo antidepressivos, e alguns passam a ter insônia.

Ela pode ter também uma insônia secundária ao próprio estilo de vida. Então, um executivo, por exemplo, que viaja muito para o exterior sofre de alterações do fuso horário, que são os jet lags, e tem muita dificuldade de manter uma rotina de sono – é bastante comum também nas pessoas que trabalham em turnos, principalmente, os rotativos.

Condições psiquiátricas chegam a atingir 40% dos insones, principalmente ansiedade e depressão. Uma pessoa que tem depressão pode ter uma insônia de manutenção; um indivíduo ansioso pode ter uma insônia inicial.

Insônia é algo mais sério do que você imagina!
Dormir mal pode tornar a sua vida um caos. Agende uma consulta e torne suas noites mais pacíficas.

Mas, à medida que uma pessoa tem insônia por muito tempo, dependendo dessa cronicidade, vai acabar podendo se sentir ansiosa ou depressiva por conta dessas questões.

Quando é Normal Ter Insônia

Normalmente, a insônia aparece quando temos muitas preocupações e de diversos tipos: do dia a dia, da nossa vida, como situações ligadas ao estudo, à família, à algum projeto de vida.

É Normal a Relação Entre o Emprego e a Insônia?

Então, vamos imaginar, alguém que entrou no emprego novo tem, com razão, muitas coisas para se preocupar, preocupações valiosas: “como será que eu vou ser recebido aqui?”, “qual é a minha hierarquia?”, “como eu vou me preocupar com meus planos de carreira?”, “preciso conhecer as pessoas”.

Portanto, isso é muito natural que se tenha, mas é preferível que se tenha essas preocupações em determinado momento do dia, porque à noite, nós devemos preservar, garantir o nosso descanso.

Caso esses pensamentos aconteçam no período noturno, você pode começar a pensar em situações mais positivas, como, por exemplo, “eu tenho as minhas habilidades para estar aqui”, “eu tenho potencial para essa vaga”, “eu concorri com vários candidatos e fui o escolhido”. Assim, você transforma todas essas condições negativas em positivas e isso vai fazendo com que a sua ansiedade e a sua preocupação realmente diminuam.

Insônia e os Principais Fatores de Risco

Temos alguns fatores de risco para insônia; quais são os principais? As partes de idade, de faixa etária, e sexo. Então, vamos ver que a faixa etária que mais se incomoda, que mais tem problemas com insônia é à medida do envelhecer, pessoas acima de 65 anos sofrem bastante de insônia, e também é bastante prevalente nas mulheres – mais do que nos homens.

Ter Insônia à Medida que Envelhecemos é Normal?

Nos idosos, embora ainda os estudos não tenham claramente as causas da própria insônia, acredita-se que tenham um declínio das próprias funções do mecanismo do sono, prejudicando assim a quantidade e a qualidade do sono nos idosos.

É muito comum encontrarmos a síndrome do avanço da fase do sono, ou seja, o sono começa a acontecer muito mais cedo e acaba terminando no meio da madrugada. Então, imagina um senhor, uma senhora, que vai jantar mais cedinho, já tem muito menos atividades para fazer nessa faixa etária, o que acontece?

Ele vai dormir mais cedo, tipo umas 8 horas da noite, e quando for 2h, 3 horas da manhã, madrugada, já vai estar desperto. Logo, vai procurar um médico e falar “tenho insônia” e pedir o medicamento.

Isso não é insônia, é simplesmente um deslocamento do sono para uma fase mais avançada. Então, se ele dorme 6h, 7 horas, já pede o medicamento para o médico e toma; vai se sentir sonolento durante o dia, vai começar a fazer cochilos durante o dia e prejudicar o sono da noite seguinte.

Dessa forma, o que pode estar acontecendo? Um ciclo vicioso em que os idosos acabam ficando até muito dispostos a quedas, fraturas, por conta de um desequilíbrio devido a essa sonolência.

Adolescentes e as Dificuldades para Acordar

Por outro lado, acontece o inverso com os jovens. Eles têm muita disposição à noite, de madrugada, e adoram dormir pela manhã. Então, vão dormir facilmente umas 3 horas da manhã e acordar ao meio-dia. Mas isso também não é insônia, é um transtorno de atraso de fase do sono, ou seja, o sono vem mais tarde e a pessoa dorme até mais tarde.

Temos os distúrbios de sono; tanto no avanço quanto no atraso do sono, ocorre uma desconexão desse tipo do sono, como as 24 horas do dia e as atividades que nós fazemos durante essas 24 horas que a sociedade nos impõe.

Essa é a parte mais difícil. Um jovem que dorme muito pela manhã precisa ir para escola, dormir bem para poder fixar todo o seu aprendizado. Já no idoso, nós recomendamos que se beneficie com exposição à luz artificial, porque vamos recomendar que seja feito à noite para ele poder retardar, o máximo possível, o sono para um horário mais compatível com o das outras pessoas.

Para um jovem, vamos pedir o quê? Vamos recomendar que ele comece, uma horinha antes de dormir, a se desligar dos tablets, de toda a tecnologia, e ler um bom livro, ouvir uma música não muito agitada, estimulante, e começar a se preparar para o sono. Assim, ele rapidamente vai ter condições de dormir um pouco mais cedo.

E como sabemos do poder da luz dentro do sono, ela interrompe a melatonina, que é o hormônio do sono. Então, pela manhã, o jovem joga a luz, atividade estimulante para interromper o sono e à noite, o idoso coloca luz para conseguir dormir mais tarde.

Por que a Insônia é Mais Frequente em Mulheres?

Já falando em sexo, a insônia é muito mais prevalente nas mulheres do que nos homens, ou seja, tem uma grande correlação entre o sono e os mecanismos hormonais. Então, na época da primeira menstruação, no início da menstruação, nas situações de estresse que a mulher passa, também no período de menopausa, é muito comum encontrar os distúrbios do sono, principalmente, a insônia.

Assista ao vídeo e complemente seus conhecimentos sobre a insônia:

Eu espero ter ajudado vocês com essas informações. Se ficarem com dúvidas, de fato procurem um especialista se acharem que têm algum desses problemas, porque ele é a pessoa mais indicada para fazer um bom diagnóstico, para te dar uma conduta completamente adequada para se sentir melhor.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Sobre o Autor:
Eliane Aversa Lopes

CRP: 06/10.857

Psicóloga da UNIFESP. Especialista no setor de distúrbios do sono, Psicoterapia Cognitiva-Comportamental, Tabagismo e Terapia de casais.








Gostou do artigo? Deixe o seu comentário:

Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Não é permitida publicidade (links, banners, etc) na plataforma. O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.

Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547
Porquê vale a pena um médico particular ?
Porquê fazer um exame no particular ?