Dores no Quadril

Dores no Quadril – O que Causa Dor no Quadril


Se você quer saber quais são as principais Causas de Dores no Quadril e os principais tratamentos, e o que você não pode perder, fique até o final deste artigo que o Dr. André Ramos, reumatologista, especialista em Dor da Clínica Regenerati e do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo, vai falar mais sobre isso.

Dores no Quadril

Dando prosseguimento às causas de dores que temos por determinada localização, já abordamos sobre as dores nas mãos, nos pés, nas costas, e hoje, vamos tratar sobre as dores na região do quadril.

Como Identificar Cada Causa de Dor no Quadril e nas Coxas?

Essa é uma região bastante interessante, porque é de difícil exame físico, então não conseguimos palpar a articulação da região do quadril como, por exemplo, palpamos as articulações das mãos, dos pés e do joelho, enfim.

Então, vamos ficar muito na dependência de duas coisas: do que você conta de características dessas dores e dos exames de imagem. Por isso a importância de se pedir a imagem adequada a partir daquilo que você está falando, a partir das características das dores nesta região.

Teste de Dor Neuropática Lanns-Eva
Esse teste auxilia a determinar se uma dor é neuropática ou não.

Dito isso, vamos para as dicas com relação a essa questão das dores nessas regiões.

Dor Característica da Articulação de Quadril

Se você tem uma dor que é mais na região inguinal, ou seja, mais na parte anterior da região do quadril e principalmente quando ela tem uma irradiação, ou de certa forma “responde” no joelho, é mais característica que temos da articulação do quadril. Logo, se você tem uma dor que tem essas características, vamos pensar principalmente na dor relacionada à articulação do quadril.

A principal causa de dor nessa região é a osteoartrite, a artrose da articulação do quadril. Então, principalmente, nas pessoas que têm um pouco mais de idade e sobrepeso, essa dor é característica e praticamente vai fazer o diagnóstico de osteoartrite da articulação do quadril.

Será que tenho Dor Neuropática ? Por quê não passa ?
Esse livro ensina a reconhecer uma dor neuropática e explica porque ela não passa sozinha como outras dores

Mas, por exemplo, em um contexto talvez de trauma, após a realização de algum exercício ou de alguma sobrecarga mais importante, e principalmente quando está associada, por exemplo, a uma instabilidade, ou seja, a uma sensação de clique. Ou falta, digamos assim, de força, de forma abrupta dessa articulação, também vamos ter que nos lembrar das instabilidades causadas pelas lesões da cartilagem da articulação do quadril.

Isso geralmente acontece mais em pessoas mais jovens que praticam esporte, então, por exemplo, uma pessoa que estava jogando futebol e de repente começa a ter dor na região do quadril. Além, digamos assim, das lesões musculares que são muito frequentes, também temos que nos lembrar das dores relacionadas às lesões das cartilagens do quadril.

Além disso, também, por exemplo, em pessoas que já têm um problema de quadril desde a infância. Então, podem nascer com uma displasia de quadril e isso, hoje em dia, é muito fácil de ser realizado esse diagnóstico já na infância pelo pediatra.

Está com tantas dores que nem reconhece mais a origem delas ?
Saiba como reconhecer a Dor Neuropática e acabe com ela definitivamente. Marque uma consulta na Regenerati

Logo, pessoas que já têm esse problema desde a infância e que se mantém, digamos, assintomáticos ao longo da vida, vamos fazer um diagnóstico presuntivo do que chamamos de uma osteoartrite secundária a uma displasia, ou seja, algo que vem acompanhando a vida da pessoa já de longo prazo.

Outra doença, digamos, que pode acometer primariamente essa articulação do quadril é a osteonecrose de quadril. E isso é mais comum em pessoas que também têm mais sobrepeso, por conta da própria sobrecarga mecânica.

Além disso, também existem alguns mecanismos envolvendo a parte de metabolização gordurosa, afinal de contas, esse osso do quadril tem bastante medula óssea que basicamente é mais amarela, portanto, cheia de gordura; então pode ter a ver com isso também, que é, na verdade, uma necrose, ou seja, uma morte que é mais localizada na região da medula óssea do quadril.

Então, se é uma pessoa que também é mais obesa e de repente começa a sentir essa dor, principalmente relacionada, por exemplo, ao uso crônico de corticoide, isso vai fazer com que aumente a probabilidade de ser uma dor relacionada à osteonecrose de quadril.

Logo, uma pessoa que tem uma doença reumática, por exemplo, o lúpus ou uma síndrome antifosfolípide, que começa, de repente, a ter uma dor nessa região, precisamos pensar que possa ser uma osteonecrose de quadril.

Além disso, também temos que lembrar as causas de artropatias inflamatórias, então artrite reumatoide, artrite psoriática, espondiloartrites; todas podem acometer essas articulações e geralmente não vêm isoladas. Ou seja, não vêm só com dor nessa região, vêm com outras manifestações que podem nos fazer pensar nas causas das artropatias inflamatórias nessa articulação do quadril.

Dores no Quadril

Bursite de Quadril

Além disso, outra causa muito frequente é uma dor na região lateral do quadril, no osso que chamamos de trocânter maior do fêmur. É uma dor que geralmente piora quando você se deita sobre aquele lado do quadril.

Ela é caracteristicamente assim, então as pessoas sempre associam “olha, quando eu deito para o lado esquerdo, essa dor piora. Então, no meio, às vezes, da noite eu preciso virar para o outro lado, porque eu sinto essa dor”. E essa dor está mais relacionada à fraqueza da musculatura glútea.

Logo, temos a musculatura do bumbum que é muito importante para a estabilização do tronco, da postura, da musculatura das pernas; então, se existe, digamos assim, uma fraqueza muscular da musculatura do bumbum, aquele tendão que se insere nessa região desse osso chamado trocânter maior começa a inflamar e com o passar do tempo também pode causar bursite.

Outra doença que pode causar dor nessa região é a polimialgia reumática, que costuma causar uma inflamação nos dois lados do quadril e, principalmente, na parte da manhã, que é diferente da dor que geralmente é de uma bursite mais mecânica.

E geralmente também está associada com dor na região dos ombros, então é o que chamamos de dor em cinturas escapular e pélvica, por conta de bursite nessas articulações.

Outra doença que pode afetar e causar bursite nessa localização são as doenças microcristalinas, principalmente, doença por depósito de pirofosfato de cálcio e a doença por oxalato de cálcio. Geralmente, estão relacionadas a uma disfunção, podem estar relacionadas à doença renal crônica, mas, principalmente, a um quadro de osteoartrite difusa.

Ou seja, se a pessoa tem artrite de mãos ou de joelhos, osteoartrite dos pés, faz com que comecemos a pensar que possa ser decorrente do acúmulo de cristais de cálcio nessas localizações e causem essas dores.

Bursite Trocantérica

Outra dor que também é causada por uma bursite é a chamada bursite isquiática, que é uma bolsa que temos na protuberância óssea do bumbum. Então, quando sentamos, sentimos aquele ossinho que fica em contato direto, digamos assim, com a cadeira ou com o local de onde estejamos sentados, e para não machucar diretamente o osso, essa protuberância óssea, existe uma bolsa, a bursa, que chamamos de bursa isquiática.

Principalmente, isso é muito comum com pessoas que também têm, digamos assim, uma musculatura das nádegas, do bumbum, menor, ou seja, têm uma fraqueza de musculatura do bumbum mais importante e, além disso, também passam muito tempo sentados.

Então, por exemplo, o caminhoneiro acaba tendo muito esse tipo de dor, um motorista, qualquer tipo de profissão ou até mesmo pessoas que trabalham no escritório e passam muito tempo sentados na mesma posição e acabam, digamos assim, machucando cronicamente essa bolsa, e isso causa essa bursite isquiática.

Compressão de Nervos do Quadril

Outra causa de dor nessa região, que é mais profunda, associada a uma dormência que pode estar localizada tanto na região do bumbum quanto também pode se irradiar para as coxas; dormência, queimação ou choque, causado pelo que chamamos de síndrome do piriforme.

Existem vários nervos que saem da coluna e passam através do quadril para as pernas; um desses nervos é chamado piriforme e a compressão desse nervo vai causar dor, que pode ser de um lado – dos dois lados também – e tem essa característica de causar dormência, choque ou formigamento na região das coxas ou das pernas.

E essa dor é desencadeada mais quando você passa muito tempo sentado ou especificamente quando, por exemplo, você levanta e vai pegar algum objeto no chão e sente uma piora dela.

Síndrome da Fáscia Lata

Outra, assim, não é uma dor caracteristicamente do quadril, mas vamos abordar um pouquinho também sobre dor na região das coxas. Uma das principais dores que também acometem a região das coxas é a dor na região lateral indo até a perna.

Essa dor quando é principalmente de manhã, na hora em que acordamos que estamos mais rígidos, mais contraídos, digamos assim, é muito característica do que chamamos de síndrome da fáscia lata, que, na verdade, é decorrente de uma contratura.

Ou seja, de uma falta de alongamento dessa musculatura da região lateral da coxa – temos uma musculatura na região lateral da coxa que é bem fina, parece uma fita, tanto é que chamamos de musculatura da fáscia lata.

Então, se não alongamos essa musculatura associada a uma fraqueza desse músculo, o que vai acontecer? Existem alguns pontos na região que podem entrar em conflito direto, ou seja, em contato direto com o osso. Na região lateral da coxa temos o trocânter maior do fêmur e esse tendão, esse músculo que é mais como se fosse uma fita, tem contato direto com, digamos assim, esse osso, fazendo com que haja dor nessa localização.

Além disso, quando passa pela região do joelho, também tem o osso do fêmur mais distal e da tíbia que acaba também tendo contato com essa região, e faz com que a pessoa sinta dor, então acaba fazendo toda uma dor nessa região lateral da coxa.

Compressão de Nervos da Coxa

Outra dor que é mais localizada é a chamada meralgia parestésica, que é decorrente de uma compreensão de um nervo que sai da virilha, que é o nervo cutâneo femoral. Então, é uma dor bem característica, é mais na região anterior e lateral da coxa, principalmente nos dois terços superiores da coxa.

Logo, é uma dor mais em queimação, em choque, em formigamento, e que não está associada a nenhum outro tipo de alteração, e ela se dá por conta da compressão desse nervo. E uma das coisas que precisamos sempre pesquisar, é saber o porquê de esse nervo estar sendo comprimido nessa região.

Importância do Exame de Imagem

Além disso, como já abordamos, muitas das vezes, vamos precisar de exames de imagem para poder fazer o diagnóstico correto. Então, dependendo da suspeita diagnóstica, vamos precisar de um Raio-X, uma tomografia ou de uma ressonância.

No caso das suspeitas de compressão de nervo, vamos precisar, por exemplo, do ultrassom ou de uma eletroneuromiografia. Nos casos em que suspeitarmos de uma artrite, artropatia inflamatória, também vamos precisar de exames laboratoriais. Então, é preciso fazer essa complementação diagnóstica através de exames de imagem, a partir tanto do que você está sentindo, quanto daquilo que é examinado durante a consulta.

Tratamento

E já que assim, esse é um conteúdo que conseguimos abranger um número maior de causas de dores nessas regiões, vamos abordar, de uma forma geral, sobre o tratamento dessas dores na região do quadril.

Com relação à osteoartrite de quadril, que é a principal causa de dor nessa região, vamos ter um artigo mais completo descrevendo sobre os tratamentos de osteoartrite em geral, que, por conta da importância, vamos precisar abordar mais especificamente sobre a doença em si.

Sobre as doenças das cartilagens da articulação do quadril, fratura ou necrose, em geral, o que vamos precisar fazer? Tirar a carga, ou seja, vamos precisar fazer o uso de auxiliares de marcha ou até mesmo, por exemplo, passar um período sem colocar nenhum tipo de sobrecarga – vai ter que evitar deambulação, usar um auxiliar de marcha, como uma bengala, para evitar de ter compressão e de ter mais lesão a longo prazo dessa localização.

E em geral, a maioria desses problemas vai precisar de um tratamento cirúrgico. Então, eventualmente se tivermos suspeitas da dor relacionada a esses tipos de situações, vamos precisar de uma avaliação de ortopedista e possivelmente de uma indicação de um procedimento cirúrgico.

Abordamos sobre duas bursites, digamos assim, mais comuns, mais facilmente diagnosticadas do quadril que são a bursite trocantérica e a bursite isquiática. Em geral, vai precisar fazer alongamento e fortalecimento da musculatura dessa região. Além disso, em alguns casos, fazer infiltrações locais e, em geral, tendo esse tratamento, conseguimos ter uma boa resposta.

E por fim, sobre as compressões nervosas, vai precisar fazer basicamente um alongamento para fazer com que toda a musculatura daquela região, digamos assim, não comprima esses nervos.

Além disso, nos casos em que existe, por exemplo, “ah, é um tumor, um aumento de um linfonodo ou é um vaso que está com alguma alteração”, vamos precisar tratar especificamente esse tipo, o que está fazendo a compreensão daquele nervo. E, muitas das vezes, vamos precisar usar medicações específicas para o nervo. Então são as medicações moduladoras de dor – isso vai ter que ser feito um pouco mais a longo prazo.

E nos casos das artrites; de dor na região do bumbum, de uma forma mais crônica, principalmente na parte da manhã, associada à rigidez ou às dores lombares; da espondiloartrite que é relacionada mais a uma dor na articulação sacroilíaca, que é uma articulação própria do quadril, vamos precisar fazer o tratamento específico dessa artrite.

Então, de uma forma geral, temos maneiras, digamos assim, simplificadas de tratar essas dores a partir desse diagnóstico que chamamos de sindrômico, ou seja, se é bursite, artrite, tendinite, compressão nervosa ou se é, por exemplo, uma osteoartrite ou artrose da articulação do quadril.

Assista ao vídeo e saiba mais informações:

Eu espero que vocês tenham gostado desse conteúdo. Por favor, compartilhem com seus amigos, familiares e colegas, e não se esqueçam de curtir.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Sobre o Autor:
André de Paula Silva Ramos

CRM: 164.462

Médico no BP Mirante, BP Paulista e São Luis Morumbi. Possui Certificado pela EULAR (Liga Europeia de Reumatologia). Reumatologista especializado em Lupus, artrite reumatoide, artroses, osteoporose, diagnóstico diferencial de fibromialgia, doenças autoimunes e fibromialgia.








Gostou do artigo? Deixe o seu comentário:

Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Não é permitida publicidade (links, banners, etc) na plataforma. O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.

Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547
Porquê vale a pena um médico particular ?
Porquê fazer um exame no particular ?