Comportamento do Sono no Idoso

Sono – Comportamento do Sono no Idoso


Se você quer saber como é o Comportamento do Sono no Idoso, o que muda dele em relação ao jovem, o que é ou não normal, fique até o final deste artigo que a psicóloga Eliane Aversa, que é especialista em Sono, trabalha com TCC – Terapia Cognitivo-Comportamental – para distúrbios do sono, principalmente para o tratamento das Insônias, e atende na Clínica Regenerati, vai abordar sobre isso.

Comportamento do Sono no Idoso

O objetivo deste conteúdo é informar as pessoas interessadas em cuidar dos idosos ou com necessidade de cuidá-los, tanto profissionais quanto também familiares, sobre a importância do sono: como interfere nas nossas vidas, na nossa saúde física, mental, para termos qualidade de vida. E, especificamente, nós vamos explicar sobre os pacientes idosos, como o sono se manifesta nessa faixa etária.

Acompanhando este assunto de cuidadores e dando continuidade aos artigos, vamos abordar sobre o comportamento do idoso: quais são as necessidades de sono que têm, os horários mais frequentes de dormir e acordar, se tem tratamentos propostos que podem melhorar.

O que é Sono?

E um deles que nós vamos enfatizar mais hoje é a higiene do sono para saber como tratar o idoso. Vai aqui uma explicação, meio breve, do que é o sono: vamos definir como um estado fisiológico da consciência, onde o corpo e a mente se alternam entre uma hora repouso, outra hora vigília, por um determinado período de tempo.

Teste de Insônia
Teste que tem objetivo de quantificar o grau de insônia da pessoa.

Em média, os seres humanos passam um terço da vida dormindo, então sabemos que é muito importante, mas não sabemos ainda a função exata dele. Tem uma das explicações, acho que uma das principais, que considera uma necessidade de repor energia tanto física quanto psicológica.

Ele vem sendo regulado pelo ritmo circadiano – vocês devem ter ouvido falar dele ou do relógio biológico. Esse sono normalmente é precedido de cansaço e depois que ocorre, é seguido por uma sensação de descanso, de renovação.

Toda vez que abordamos sobre ritmo circadiano, é o que se refere a qualquer evento que ocorre durante 24 horas do dia; é ele que vai determinar o nosso ritmo de dormir, o horário de acordar, quantas pessoas individualmente precisam dessas horas de dormir, acordar – ele tem um parâmetro normal, mas tem as diferenças extremamente pessoais.

Casei com um profissional do ronco... E agora ?
Este livro conta a jornada de uma esposa que sofre com o ronco de seu marido e como que ela fez para lidar com a Apneia do Sono de seu marido.

Padrão de Sono

O padrão de sono, para vocês terem uma ideia, vai se modificando ao longo da vida. Quem já observou o sono de um bebê, teve um bebê em casa, sabe que ele dorme muito, cerca hoje, esperado, em termos de 14 a 17 horas de sono diárias, divididas entre o dia e a noite.

Uma criança de 01 a 05 anos já vai ter uma necessidade de sono entre 10 e 14 horas; de 06 a 13 anos, a média vai passar de 9 a 11 horas; o adolescente, de 14 a 17 horas / dia; os adultos entre 18 e 64 anos, uma necessidade de sono entre 7 e 9 horas e o idoso, considerado acima de 65 anos, vai ter um horário mais reduzido, de 7 a 8 horas de sono.

Essa é uma classificação básica para termos uma ideia comparativa se o sono está sendo normal ou não em termos de quantidade de horas.

Insônia é algo mais sério do que você imagina!
Dormir mal pode tornar a sua vida um caos. Agende uma consulta e torne suas noites mais pacíficas.

Assim sendo, a partir disso, o que observamos? Que o processo de envelhecimento normal diminui tanto a quantidade quanto a qualidade de sono e por isso devemos dar muito mais atenção ao sono do idoso e às suas consequências.

E um jovem, na sua idade plena, vai gostar muito mais de fazer atividades noturnas e dormir pela manhã. Isso não é considerado uma insônia, é considerado um atraso da fase do sono, então o jovem tem muito isso, é uma característica do sono jovial.

Principais Queixas dos Idosos e de Seus Cuidadores

E no adulto e nos idosos, as principais queixas com o envelhecimento são que o sono vai ficando cada vez mais curto, maior tempo para iniciar o sono. É uma queixa chamada de latência do sono, tem uma constatação de que se permanece na cama acordado por mais tempo e muito provavelmente acontecem despertares precoces, ou seja, as pessoas acordam muito antes de qualquer necessidade por compromisso em acordar.

Avanço da Fase do Sono

Então, mediante a essas características do sono do idoso, o que percebemos é que o sono não tem o atraso como no jovem, mas vai ter um avanço, que é exatamente o contrário; o avanço da fase do sono é quando o sono se inicia mais cedo e tem despertar durante a madrugada.

Como muito frequente, os familiares, cuidadores, acabam recorrendo aos médicos para pedir uma prescrição de indutores do sono, alguns hipnóticos, porque acham que dormem pouco.

Por exemplo, se o idoso vai dormir às 21 horas, 21h30, e acorda entre 3 e 4 horas, já fez um número excelente de horas para a faixa etária dele. Mas, erroneamente, isso é considerado insônia e eles pedem mais remédios, mais fármacos, para os médicos, para prolongarem o sono até a parte da manhã.

Então, até aqui fica claro que têm essas diferenças em termos de necessidades de sono, o avanço da fase do sono no idoso.

Principais Causas de Transtornos de Sono no Idoso

E quais são as principais causas de termos transtornos de sono, especificamente para nós, em qualquer faixa etária, mais nessa população especificamente do conteúdo de hoje?

Transtornos Clínicos

Transtornos clínicos, então diabetes, refluxo gastroesofágico, hipertensão arterial, dores crônicas e reumatológicas, Doença de Parkinson ou algumas demências, podem ser preditores de problemas de sono no idoso.

Transtornos Psiquiátricos

Transtornos psiquiátricos são bem descritos, principalmente quando se tem uma ansiedade, uma depressão associada, então, se mede uma interferência muito exacerbada nessa ligação entre ansiedade, depressão e distúrbios do sono.

Outros Transtornos de Sono

Outros transtornos de sono, além do avanço da fase do sono, que podem ser encontrados no idoso são as insônias de vários tipos, os distúrbios respiratórios, principalmente os que competem ao ronco, à apneia, que são paradas respiratórias durante o sono, que pode ocorrer até com uma diminuição de oxigênio nas células, no sangue, na corrente sanguínea, e isso provoca também sonolência diurna em várias pessoas.

Encontramos também síndrome dos movimentos periódicos dos membros, que são pequenos abalos durante o sono, nas pernas, e que superficializam uma qualidade desse sono.

E quando relatamos principalmente sobre uma insônia, que é a mais comum de ser encontrada nos idosos, vamos pensar que é uma dificuldade de iniciar ou manter esse sono.

Então, são duas classificações: a inicial é quando a pessoa deita e demora um tempo maior para pegar no sono, e a manutenção, onde terminar, é quando o sono é fragmentado e a pessoa não consegue dormir imediatamente após, e tem um despertar também precoce.

Quando explicamos sobre distúrbios psiquiátricos, se um idoso tem uma depressão, isso vai ser um marcador biológico para ele ter uma insônia de manutenção, de meio da noite. Uma pessoa mais ansiosa tem muito mais dificuldade de iniciar esse sono, então são dois marcadores biológicos que também nos dão uma referência para entender o sono do idoso.

Fatores Sociais

Além desses fatores, existem os fatores sociais, que também são muito relevantes para a condição atual do idoso, então são preocupações financeiras, porque a vida passa a ser um pouco menos produtiva; com aposentadoria, se ela já chegou, se ele só tem essa renda; as próprias preocupações com o seu estado de saúde também; isso é muito importante para contribuir para uma má qualidade de sono.

Portanto, detalhando sobre esses fatores, de um modo geral, o que percebemos como fatores também internos ou externos, que são classificados para mexer com a nossa qualidade de sono?

Fatores internos são se você tiver uma dor, uma preocupação, uma febre, um mal-estar; e os fatores externos são muito associados à temperatura do quarto, do ambiente, à luminosidade e aos ruídos que atrapalham diretamente o sono.

Higiene do Sono

Existem vários tratamentos para se conter uma insônia, principalmente essa também fase de atraso do sono no idoso, nós chamamos de terapia cognitivo-comportamental, que é bastante estudada e aplicada em relação aos tratamentos de sono.

E é chamada de higiene do sono, ou seja, se propõe a limpar alguns estímulos que estão sendo prejudiciais para uma boa qualidade de sono e, às vezes, as pessoas não têm conhecimento sobre eles.

Controlá-los é uma técnica, tem algumas técnicas de relaxamento e também que pertencem à higiene do sono, uma restrição de sono, de período na cama acordado, que é muito contraproducente também. Então, são alguns exemplos de como nós podemos orientar os cuidadores a lidar com o sono do idoso e proporcionar uma melhora significativa para eles.

Logo, os hábitos inadequados, um estilo de vida irregular, podem transformar o sono das pessoas e dependendo de quanto tempo isso perdurar, persistir, podemos dizer que vai se instalar uma insônia, porque ela é aprendida e perpetuada, tornando-se cada vez mais difícil voltar ao padrão normal.

Medidas a Serem Adotadas

Então, nessa higiene do sono, quais são algumas medidas que podemos usar para ajudar no sono do idoso? Como estávamos explicando, manter o quarto arejado, limpo, silencioso e escuro.

Uma movimentação durante o dia é também bem importante, as refeições bem distribuídas para que durante a noite o sono possa vir de uma maneira completa e plena, sem muita fome e sem estar com o estômago muito pesado, com uma digestão mais lenta.

A prática de alguma atividade física para o idoso é muito importante, só a recomendação é que não deve ocorrer mediante a um horário muito próximo ao de deitar; por quê? A atividade física é estimulante, ela vai produzir substâncias mais excitatórias que não combinam com as substâncias indutoras do sono, então essa é uma recomendação, de tomar um cuidado.

Dependendo da alimentação que o idoso tenha, pode-se recorrer aos exercícios proporcionados por fisioterapeutas para que tenham uma melhor oxigenação e movimentação muscular.

Uma coisa interessante também e muito importante é uma exposição, que o idoso seja exposto ao sol, claro que tomado todas as precauções com pele, proteção solar, mas pela manhã é muito importante a luz para que a pessoa acorde mesmo e comece o dia a partir dessa luz.

E ainda no final do dia, à tardezinha, que tenha essa luz, mas quando começa a anoitecer, a chegar o horário perto de dormir, que essa luz venha a ser diminuída e o idoso vai começar a se recolher para um ambiente mais escuro, porque isso vai ajudar muito nas substâncias que produzem o sono, que são indutoras de sono.

Alguma atividade monótona precisa começar a ser proposta para o idoso, que é um dos sinais para que possa começar a entender que é hora de dormir. Então, pouca luz, um abajurzinho, uma luz mais amarela, em um canto, são muito bem-vindos. E frequentemente, dar alguns sinais de que a noite está chegando e o horário de dormir também.

Recomendações Sobre o Sono

O sono gosta de regularidade, assim sendo, é importante que os horários de adormecer e acordar sejam praticamente iguais, não devendo modificar muito nos finais de semana, por causa dessa regularidade que o sono solicita.

É recomendado, muitas vezes, deixar o quarto quando possível e quando se tem uma insônia durante a madrugada: sair do quarto, fazer de novo uma atividade monótona, esperar o sono chegar em outro cômodo é muito bem-vindo, até que ele retorne, volte aquela sonolência, e dê para retomar ao quarto e à cama novamente.

Tomar o cuidado de ir para a cama somente quando estiver sonolento, não esperá-lo acontecer na cama, já fazer um preparo anteriormente para ir para cama já bastante sonolento é uma boa recomendação.

O que se Deve Evitar?

Em relação à alimentação: bebidas, inclusive; estimulantes, muito café, refrigerantes, chás escuros, porque têm cafeína, então devem ser evitados, porque dificultam a produção dos hormônios indutores do sono.

Algumas pessoas têm dúvidas e são muito frequentes em relação ao álcool, “Ah, se eu tomar uma dose de álcool, posso dormir melhor, vou ter sonolência”. Além de fazer muito mal para a saúde, para o idoso nem se fala.

Mas é interessante saber que a falsa sensação de sono que o álcool dá é porque ele diminui a ansiedade, fragmenta e dá um sono de má qualidade, então, o efeito é maléfico, porém, é confundido com sonolência por causa da diminuição da ansiedade.

Tudo que for muito estimulante também, além da alimentação, das bebidas ingeridas, a própria atividade que o idoso faz antes de adormecer. Logo, evitar discussões, assistir filmes mais violentos, como uma luta, um futebol, qualquer coisa que vá ficar muito agitado, deve ser evitado. Se for inevitável, então saber que o sono vai vir muito mais tarde nesse dia, se a pessoa de repente vai ganhar prazer, por exemplo, em assistir um futebol.

O sono pode ser apresentado também em uma forma de relaxamento, logo, algumas técnicas de relaxamento também são bem-vindas – em outras oportunidades, podemos até mostrar algumas delas ligadas à respiração bem feita, uma respiração abdominal, mais plena e consequentemente mais relaxante para o corpo.

Outra coisa que precisa ser evitada é a ingestão de líquidos à noite, se possível, evitar o quê? Mais despertares, porque os líquidos farão com que o idoso tenha vontade de ir mais vezes ao banheiro. Então, é outra recomendação, se possível diminuir de dar esses líquidos ou oferecer mais cedo e não tão perto do horário de deitar.

Não se deve ficar na cama esperando pelo sono e isso, como abordamos, é contraproducente, logo, se possível, sempre aguardar o sono para ir para cama, e se acordar durante a madrugada, sair do cômodo, da cama, e só voltar quando estiver novamente sonolento.

Uma coisa que é muito frequente nos idosos são os cochilos. Eles roubam um pouco do sono da noite, então, se dormir à tarde, aquele sono da noite vai ser menor na necessidade, porque já foi feita em uma parte do dia, esse sono já foi resolvido. Logo, se possível, que sejam evitados, mas se isso não acontecer, não devem ultrapassar a duração de 30 minutos.

Como relatamos sobre distúrbios do sono, além das insônias, do avanço da fase do sono, é comum do idoso ter distúrbios respiratórios, como ronco e apneia do sono, então o cuidado do cuidador é tentar mantê-lo na posição lateral para dormir e com isso, evitar a posição supina, que é a de barriga para cima.

Existe uma técnica, barata, simples até, de colocar uma bolinha de tênis em uma meia de criança, com alfinete de segurança, e prender atrás no pijama, na camiseta, para que impeça o idoso de voltar a dormir na posição supina. Dessa forma, quando tiver um incômodo, vai automaticamente, mesmo dormindo, voltar para a posição lateral – é uma técnica simples, mas que tem bons resultados.

Conclusão

Então, com tudo isso que explicamos, é muito importante que os familiares e os cuidadores sejam devidamente orientados para observar a rotina tanto diurna quanto noturna do idoso.

Nós recomendamos que seja feito um diário de sono, por duas semanas, relatando quantas horas o idoso dorme, qual é a rotina dele, se tem despertares, quais são as maiores dificuldades – e isso é um dado muito importante para os médicos que cuidam deles, tanto para o geriatra quanto um especialista em Sono.

E sabemos que cuidar do idoso é uma tarefa árdua, porque se lida com muitas dificuldades ao mesmo tempo, dificuldades motoras, que se agravam ao longo do tempo, é uma agitação, ansiedade, depressão, alterações de humor também são sempre bem percebidas, dores, entre outras coisas, inclusive as dificuldades de dormir. Muitas vezes, o idoso já parte para confusão mental.

Mas o importante para quem cuida deles é que sejam preservados tanto o bem-estar quanto a dignidade do idoso.

Então, caso a pessoa que cuida do idoso, tanto o familiar quanto o cuidador profissional, perceba que ele não dorme bem, que adote esses hábitos saudáveis detalhados que estamos proporcionando neste artigo, porque se o problema persistir, ainda é necessário procurar um especialista em Medicina do Sono.

Ele vai ser a pessoa mais indicada para avaliar, dar uma conduta, um diagnóstico e melhorar a qualidade de vida do idoso, e inclusive recorrer aos fármacos específicos caso esses distúrbios realmente persistam.

Assista ao vídeo e saiba mais:

Eu espero ter contribuído com essas informações e qualquer dúvida, ficamos à disposição na Regenerati.

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Sobre o Autor:
Eliane Aversa Lopes

CRP: 06/10.857

Psicóloga da UNIFESP. Especialista no setor de distúrbios do sono, Psicoterapia Cognitiva-Comportamental, Tabagismo e Terapia de casais.









Gostou do artigo? Deixe o seu comentário:

Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Não é permitida publicidade (links, banners, etc) na plataforma. O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.

Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547
Porquê vale a pena um médico particular ?
Porquê fazer um exame no particular ?