Eletroencefalograma (EEG)

O exame de Eletroencefalograma é um procedimento utilizado  para  registrar a atividade elétrica do cérebro através da aplicação de eletrodos adesivos inseridos na superfície do couro cabeludo. Quanto maior o número de eletrodos, maior a resolução da informação obtida. O exame é indolor, não causa nenhum tipo de choque e se assemelha ao eletrocardiograma.  A diferença entre os procedimentos é que o EEG avalia a atividade elétrica do cérebro com eletrodos e pasta condutora colocados no couro cabeludo enquanto no eletrocardiograma, a atividade elétrica do coração é avaliada com eletrodos e pasta condutora no tórax.

Classicamente, o exame é utilizado para registrar atividades elétricas anormais relacionadas à epilepsia. Entretanto, o EEG  também traz  informações a respeito de outros aspectos do funcionamento cerebral normal, contribuindo para investigação de outras patologias, como por exemplo: crises psicogênicas, síncopes (desmaios), distúrbios do movimento (movimentos involuntários), coma, enxaquecas com auras e nas queixas de perda de memória.

É importante ressaltar que o EEG não é indicado para diagnóstico de enxaqueca, por mais que todos conheçam pessoas que realizaram esse exame para essa finalidade. O diagnóstico de enxaqueca é realizado pela história clínica.  Confira abaixo os detalhes da realização do exame, os preparos e as aplicações mais apropriadas do procedimento:

Eletroencefalograma é um exame extremamente seguro, não dá choques, não há necessidade de furar ou de causar lesões. Este é um exame que capta a atividade elétrica cerebral é um exame que de forma mais simples da gente compara com eletrocardiograma, que coloca eletrodos no tórax para registra a atividade elétrica do coração. No EEG os eletrodos são colocados no couro cabeludo junto com uma pasta para facilitar a condução elétrica normalmente coloca-se 21 eletrodos.

Eletrodo propriamente dito e o sistema computacional vai realizar a leitura da atividade elétrica cerebral que inicialmente um técnico realiza aquisição do exame e depois o médico especialista o neurofisiologista vai fazer a leitura e interpretação do do exame. Inicialmente é feito um registro espontâneo da atividade elétrica cerebral durante a vigília (paciente acordado). Se possível, essa atividade é registrada também durante a sonolência e o sono. O registro em todos esses estados aumenta a sensibilidade do método na detecção de diversas anormalidades. Após o registro espontâneo, são realizadas as provas de ativação: hiperpnéia (quando não há contraindicação)o paciente realiza incursões respiratórias forçadas e rápidas, por 3 a 4 minutos e fotoestimulação intermitente (coloca-se, frente ao paciente, uma lâmpada que produz flashes com freqüências que variam de 0,5 a 30 Hz).

Em relação o preparo para o exame:
- Não há necessidade de jejum
- Não tem que interromper os medicamentos de uso habitual (a não ser que o médico solicitante recomende)
- O cabelo deve vir lavado e sem gel, pomadas ou cremes
- Para crianças menores de um ano de idade a orientação é que o exame seja realizado após o bebê ter sido amamentado, para aumentar a chance de sono.
- Para um a cinco anos a gente pede normalmente para os familiares que acorde o bebê duas horas antes do que é o comum ele acordar e não deixar de forma alguma que essa criança durma ou mesmo que ele tire cochilinhos.
- Para crianças acima de cinco anos e adultos a gente já pede para que ele durma 50% metade do que ele tá acostumado então se a criança dorme 8 horas faz ela dormir umas 4 horas porque é muito provável que no exame ela vai dormir espontaneamente. Isso significa dormir duas horas mais tarde e acordar duas horas mais cedo no dia do exame
- Podemos administrar o Hixizine que é um antialérgico, (caso a criança não seja alérgica) para ajudá-lo na indução do sono.

Eletroencefalograma de rotina: é o EEG realizado em sono, vigília, hiperpnéia (quando se respira muito rápido) e fotoestimulação (coloca-se uma luz piscando de maneira específica na frente dos olhos abertos). Um exame minucioso  tem a duração de cerca de 40 minutos.

Eletroencefalograma (EEG)

Eletroencefalograma com mapeamento: é realizado uma análise quantitativa e diferenciada das ondas cerebrais por regiões cerebrais. É um exame de qualidade superior e informações detalhadas, que permite maior acurácia na topografia das descargas elétricas da epilepsia, bem como obter informações quantitativas sobre a atividade elétrica cerebral de base, comparando variações entre os hemisférios cerebrais. Também é utilizado para avaliação e acompanhamento evolutivo de doenças neuropsiquiátricas e degenerativas, especialmente se associado a algoritmos de análise em big data.

Eletroencefalograma (EEG)

Eletroencefalograma prolongado: é o mesmo EEG porém realizado continuamente por um recorte de tempo maior, como 2 horas por exemplo.

Realizado por Paula Girotto, Marcelo Schmidt

Referências:

Eletroencefalograma




Se interessou por esse artigo ? Veja outros conteúdos relacionados a
Precisa de ajuda profissional relacionada a Epilepsia ? Não se preocupe,
Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547