Estimulação Magnética Transcraniana

  • Depressão
  • Transtorno Obsessivo compulsivo TOC
  • Comprometimento cognitivo leve CCL ou Alzheimer
  • Transtorno de déficit de atenção TDAH
  • Fibromialgia
  • Enxaqueca crônica
  • Doença de Parkinson
  • Reabilitação de pacientes com sequelas neurológicas

A estimulação magnética transcraniana é uma técnica na qual são gerados campos magnéticos de alta potência de 1,5 Tesla, a mesma potência de ressonâncias magnéticas encontradas nos hospitais, com a diferença de que o campo magnético é pequeno e focal, de um tamanho suficiente para transpassar a pele, o crânio e chegar na superfície do cérebro com a finalidade de estimular apenas a região desejada.

A técnica da estimulação magnética transcraniana ou EMT gera potenciais elétricos nos neurônios pelos quais o campo magnético atravessa. Os corpos neuronais se comportam como verdadeiros fios de cobre e, quando o campo magnético atravessa uma estrutura condutora resulta em uma corrente elétrica naquela estrutura.Dessa maneira, conseguimos gerar atividade elétrica em determinados pontos do cérebro, estimulando ou inibindo. 1

É possível realizar estímulos excitatórios ou inibitórios dependendo da frequência dos pulsos magnéticos. Caso a frequência de pulsos magnéticos seja de 10 hertz ou mais é uma frequência excitatória; caso seja uma frequência de 1 hertz ou menos trata-se de uma frequência inibitória.

Estimulação Magnética Transcraniana

O cérebro possui regiões específicas para determinadas funções, como a região da visão, região da fala, região da audição, região da sensibilidade, região dos movimentos do braço, da boca, da perna, do equilíbrio, das emoções, da dor e é possível estimular ou inibir determinada região cerebral dependendo do quadro clínico apresentado pelo paciente. É possível tratar a depressão focando o campo magnético sobre a região dorsolateral pré frontal esquerda do cérebro, uma área que está intimamente relacionada com o prazer, as atividades cognitivas o bem-estar e a iniciativa. Nos processos depressivos, a atividade elétrica nessa região está inibida e quando nós estimulamos de maneira excitatória com a EMT, é possível mudar a clínica da depressão com essa estimulação. 2

De igual modo, caso um paciente possua transtorno auditivo alucinatório, é possível colocar o campo magnético na região da transição da área da audição e do pensamento, de forma inibitória impedindo a propagação das vozes na cabeça do paciente. Também é possível posicionar na região relacionada a uma parte específica de dor do paciente e inibir dores neuropáticas, especialmente à percepção do frio gelado. Similarmente, é possível dispor de maneira excitatória na região motora do cérebro e auxiliar em patologias nas quais o córtex motor está inibido como na fibromialgia ou na doença de Parkinson. 3, 6

A técnica é contraindicada para quem tem epilepsia não controlada na forma excitatório, para quem tem anormalidades na calota craniana e para quem possui elementos metálicos ferromagnéticos fora ou dentro do crânio.

Um dos poucos efeitos colaterais da técnica é alguma dor no local de aplicação, quando o músculo é ativado pelo campo magnético. Com o ajuste do ângulo da bobina sobre a cabeça é possível solucionar esse desconforto.

A técnica de estimulação magnética transcraniana recebeu aprovação da FDA (órgão de saúde dos EUA) para tratamento de depressão, para o tratamento de transtorno obsessivo compulsivo e para o tratamento de transtorno auditivo alucinatório. Existem evidências crescentes e uma prática bem regular para a estimulação magnética transcraniana, no tratamento da fibromialgia, da enxaqueca na reabilitação cognitiva, no transtorno cognitivo leve, na doença de Alzheimer e também na reabilitação motora na doença de Parkinson. 4, 5

Ressaltamos que, para algumas indicações da estimulação magnética transcraniana como na fibromialgia, na reabilitação cognitiva no TDAH e na reabilitação da doença de Parkinson, a técnica da estimulação magnética transcraniana é mais efetivas quando associada a algum processo terapêutico, como a fisioterapia motora, no caso da fibromialgia, na doença de Parkinson e a reabilitação cognitiva no caso do Alzheimer e do TDAH. 8

A clínica Regenerati oferece o tratamento de estimulação magnética transcraniana de última geração, com a bobina figura de 8 e duplo cone, no qual é possível realizar todas as técnicas preconizadas para os tratamentos atualmente propostos. E também, reunimos os melhores profissionais de reabilitação necessários para a terapêutica conjunta, incluindo fisioterapia, terapia ocupacional, psicoterapia, fonoterapia, entre outros.

Realizada por Carolina Favarin, Patricia Schattner, Débora Macea, Willian Rezende

Referências:

1. Bases da EMT: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1877-0657(15)00079-2

2. EMT na depressão: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1935-861X(16)30038-9

3. EMT no Parkinson: http://www.neurology.org/cgi/pmidlookup?view=long&pmid=27708129

4. EMT na reabilitação cognitiva: https://doi.org/10.1111/ane.12223

5. EMT no TOC: https://linkinghub.elsevier.com/retrieve/pii/S1935-861X(17)30896-3

6. EMT na Fibromialgia: https://doi.org/10.1002/ejp.1213

7. EMT na Fibromialgia: https://academic.oup.com/brain/article-lookup/doi/10.1093/brain/awm189

8. EMT no desempenho cognitivo: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S1053811913006447?via%3Dihub

Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547