Lombalgia

Dor na Lombar – A Lombalgia


Se você quer saber mais sobre a terrível Lombalgia ou a dor nas costas, a Dor na coluna Lombar, fique até o final deste artigo que o Dr. Victor Rossetto, neurocirurgião funcional, especialista em tratamento cirúrgico da Dor, Distúrbios do Movimento e Epilepsia, que trabalha na Clínica Regenerati e é médico assistente no Grupo de Dor do Hospital das Clínicas de São Paulo, e tem uma grande experiência, principalmente, em quando não operar a coluna, vai falar mais sobre isso hoje.

Onde Fica a Região Lombar?

Primeiro, qual é a região lombar? Lombalgia é a dor da região lombar, mas o que é a região lombar? Pela definição, ela se encontra entre a última costela e a prega glútea. Então, qualquer dor nessa localização, posterior, entre a última costela e a prega glútea é considerada lombalgia.

Toda Lombalgia é Igual?

Não, existem diferentes definições de dores que se apresenta uma lombalgia: existe o termo clássico lombalgia; lombociatalgia, quando a dor está em região lombar e desce para a perna; ciática, que é uma dor do nervo ciático; temos a claudicação, que é uma dor que vem quando a pessoa anda alguma distância.

E as subdivisões que nós temos em predomínio de dor, dor de nervo, a dor neuropática; dor nociceptiva, que é uma dor de alguma estrutura que está sob ameaça; e as dores disfuncionais ou nociplásticas, que ocorrem por uma interpretação errada da dor daquela região.

Teste de Dor Neuropática Lanns-Eva
Esse teste auxilia a determinar se uma dor é neuropática ou não.

Quais Estruturas Podem Resultar em Dor Lombar?

Com o tipo de apresentação de dor, existe uma dica do tipo de estrutura que pode estar resultando naquela dor. Como é uma região ampla, qualquer dor que acomete quadril, coluna, musculatura, ligamentos, pode se manifestar uma dor nela.

Quais São os Sinais de Alerta para Evitar a Lombalgia?

85% das lombalgias não têm uma causa bem definida, são lombalgias inespecíficas. Isso não é tão problemático, pois o tratamento não é tão diferente. Em 15%, conseguimos localizar se é uma artrose, uma osteoartrite de quadril, que se manifesta com uma dor lombar, osteoartrite de coluna, alteração ligamentar, tensão muscular. Diante disso conseguimos ver, em 15% dos casos, uma causa bem específica, mas, normalmente, é uma miscelânea e de etiologia mal definida.

Tratamento Inicial

Se não houver sinais de alarme: uma perda de força, uma alteração de sensibilidade que não passa de jeito nenhum, uma suspeita oncológica, o tratamento é clínico.

Será que tenho Dor Neuropática ? Por quê não passa ?
Esse livro ensina a reconhecer uma dor neuropática e explica porque ela não passa sozinha como outras dores

O que vai chamar nossa atenção como potencial tratamento cirúrgico são os sinais de alarme. Temos diversos relacionados, sendo os principais: perda de força, possibilidade de uma fratura, um antecedente de um trauma e possibilidades oncológica e de uma infecção.

Todos esses são sinais que levam a uma atenção maior na possibilidade de cirurgia. Mas, em princípio, o tratamento é clínico, reeducação do paciente: correção de posturas anômalas, atividade física e readaptação.

Quando Pensar em uma Cirurgia para Lombalgia?

A maioria dos casos é de tratamento clínico, mas tem pacientes em que é necessária uma cirurgia. Quando? O paciente evoluiu com os sinais de alarme, no déficit de força.

Está com tantas dores que nem reconhece mais a origem delas ?
Saiba como reconhecer a Dor Neuropática e acabe com ela definitivamente. Marque uma consulta na Regenerati

Ele tem um quadro de dor que não melhorou durante três meses de tratamento, de dor de nervo, dores que chamamos de axiais, normalmente são de tratamentos conservadores; o tratamento cirúrgico não costuma ter um bom resultado para dores do meio da coluna, que são as dores axiais.

E as dores que ocorrem na claudicação e não estão melhorando com a reabilitação, temos a possibilidade do tratamento com descompressão da coluna.

Tem Como Prevenir a Lombalgia?

Sim, a lombalgia pode ser prevenida com educação do paciente: posturas de trabalho, fazer pausas regulares no serviço para mudar de postura, perda de peso, fim do tabagismo. E temos as possibilidades de atividade física; fortalecimento muscular previne lombalgia.

Então, a cirurgia é a minoria dos casos que vai requerer. Na maioria dos casos, o tratamento de reabilitação vai resolver o problema do paciente. Quando começar a surgir, temos que muito bem investigar a causa daquele problema: podemos ter as compressões nervosas, hérnia de disco, estenose de canal lombar, que vão precisar de tratamento específico.

Se você conhece alguém que se interessa por este assunto, por favor, compartilhe este artigo com essa pessoa.

Assista ao vídeo e saiba mais informações:

Mais Informações sobre este assunto na Internet:

Sobre o Autor:
Victor Rossetto Barboza

CRM: 136.078
RQE:61.813-1

Neurocirurgião do Grupo de dor do HC-FMUSP e Leforte. Especialista em cirurgia da dor, cirurgia do Parkinson, cirurgia Epilepsia e dor Oncológica.








Gostou do artigo? Deixe o seu comentário:

Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Não é permitida publicidade (links, banners, etc) na plataforma. O público pode realizar comentários, alterar ou apagar o mesmo. Os comentários são visíveis a todos.

Entre em contato pelo WhatsApp! (11) 96581-5547
Porquê vale a pena um médico particular ?
Porquê fazer um exame no particular ?